Notícias

Programa Nacional de Financiamento a Projetos pelo INR, I.P. 2016

O Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P., como em anos anteriores, apoia financeiramente a ADFA no desenvolvimento de dois projetos de âmbito lúdico,cultural e desportivo.

Contamos com a participação dos nossos associados e seus familiares.

 

  • Projetos:
    • “Desporto e Cultura para Todos”– Delegação do Porto
      • Atividades:
        • Natação
        • Ginástica de Reabilitação
        • Hidroterapia
        • Torneio de Futebol
        • Torneio de Sueca
        • Torneio de Bilhar
        • Boccia Sénior
        • Caminhadas
        • Visitas Culturais
        • Semanas desportivas e culturais

 

  • “Inclusão pela Arte e Cultura”– Delegações de Lisboa, Évora e Bragança
    • Atividades:
      • Aulas de Pintura (1vez por semana - 5ª feira)
      • Aulas de Cerâmica (1vez por semana - 5ª feira)
      • Chávena de conversa (1vez por mês - 2ª e 5ª feiras do mês)
      • Viagem ao Minho e Santiago de Compostela - 29 de abril a 1 de maio
      • Viagem ao Forte Militar da Graça/Elvas - 12 de setembro
      • Cruzeiro no Douro - 18 de setembro

             

               

       

              

                                                                                                              

       

                                                                                                         

       

ADFA distinguida com Prémio Direitos Humanos 2015

 

A ADFA foi distinguida hoje, 10 de dezembro, com o Prémio Direitos Humanos 2015, durante a cerimónia comemorativa do Dia Nacional dos Direitos Humanos, na Sala do Senado, na Assembleia da República – Palácio de São Bento, em Lisboa.

José Arruda, Presidente da Direção Nacional, que recebeu o Prémio das mãos do Presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, referiu que “os nossos 41 anos de experiência, na defesa de todos os deficientes militares e dos valores da Liberdade e da Cidadania, são desta forma reconhecidos”.

A casa da Democracia, a Assembleia da República, por decisão do Presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e sob proposta do Júri do Prémio Direitos Humanos, constituído no âmbito da Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, atribuiu à ADFA este galardão no dia 10 de dezembro, Dia Nacional dos Direitos Humanos, "pelo seu papel notável de 41 anos de apoio aos ex-combatentes vítimas da Guerra Colonial".

O Prémio Direitos Humanos 2015 foi este ano também atribuído ex-aequo à Plataforma Global de Assistência Académica de Emergência a Estudantes Sírios, "pela resposta que, em tempo real, ofereceu, logo no início da atual crise dos refugiados, aos jovens sírios".

O Prémio Direitos Humanos “destina-se a reconhecer e distinguir o alto mérito da atividade de organizações não-governamentais ou original de trabalho literário, histórico, científico, jornalístico, televisivo ou radiofónico, divulgados em Portugal entre 1 de julho do ano anterior e 30 de junho do ano da atribuição, que contribuam para a divulgação ou o respeito dos direitos humanos, ou ainda para a denúncia da sua violação, no País ou no exterior, da autoria individual ou coletiva de cidadãos portugueses ou estrangeiros”.

Leia a intervenção do Presidente da ADFA e veja as fotografias deste momento elevado da vida da Associação.

 

 

 

 


A intervenção do Presidente da ADFA

 

 

 vídeo da Cerimónia Entrega Prémio Direitos Humanos 2015 à ADFA (Canal Parlamento)

 

 

 http://www.canal.parlamento.pt/?cid=616&title=cerimonia-comemorativa-do-dia-nacional-dos-direitos-humanos

 

 

 

Espetáculo Solidário “Vida, Memória, Cidadania”

 

 

 Veja o link do spot TV

https://animavideo.screenlight.tv/shares/BAgDVsyLJUzkNcklWQ2i1iTMsIMY9A0y 

 

Participa na construção da história da Associação!

O teu contributo é importante para a preparação do Livro dos 40 anos da ADFA!

Com o patrocínio da Fundação Montepio, a ADFA vai realizar um espetáculo musical solidário intitulado “Vida, Memória, Cidadania”, que decorrerá no próximo dia 13 de Novembro, às 21h00, na Aula Magna da Reitoria da Universidade de Lisboa, na Alameda da Universidade.

Este evento cultural, para além da angariação de fundos para o livro dos 40 anos da ADFA, constituirá, também, um momento de afirmação solidária e de cidadania da ADFA e dos Deficientes Militares que, passados mais de 40 anos sobre o fim da Guerra Colonial, continuam ativos e empenhados na preservação das memórias e dos valores que abraçamos desde 14 de maio de 1974.

O espetáculo está a ser divulgado nas Redes Sociais e Media, especialmente na RDP e RTP.

O ingresso para este espetáculo terá o custo de 10,00 euros, estando os bilhetes à venda na Ticketline, FNAC, Worten, Sede Nacional e Delegações, adiantando-se que os associados mediante a apresentação do bilhete terão um desconto de 30% na aquisição do Livro dos 40 Anos da ADFA, a publicar.

Na ADFA, os ingressos deverão ser solicitados à colaboradora da Sede Nacional, Sónia Cerejo, através do telefone-   217 512 638.

Vem participar com a tua família!

 

 

Lisboa Corre Pela Paz 2015

 

 

 

 

 

Mensagens

LISBOA CORRE PELA PAZ 2015

 

 

“O Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P. saúda a Associação dos Deficientes das Forças Armadas (ADFA) e a Liga dos Combatentes (LC) pela organização da corrida e marcha/caminhada pela Paz no âmbito do Dia Mundial da Paz. Os associados da ADFA e da LC sabem perfeitamente o valor inestimável da Paz, que é efetivamente o bem mais precioso da humanidade. O caminho para a inclusão, para a igualdade de oportunidades e plena integração na sociedade de todos os cidadãos só é possível em ambiente de Paz entre os povos”.

 

Presidente do INR,

 

Dr. José Serôdio

 

 

 

A paz só é possível com desenvolvimento, equidade e dignidade. A paz só é possível se para ela trabalharmos dia a dia.

Vereador dos Direitos Sociais, Dr. João Afonso

 

 

Por causas como a Paz todos não seremos demais!
Das formas mais diversificadas, nos modos mais ou menos impactantes, todas as ações que visem sensibilizar, apelar e dar visibilidade à necessidade de pacificar o mundo só podem ser enaltecidas e apoiadas, reconheceremos sem qualquer pejo que enquanto o desiderato de reconciliação do humanidade nos diferentes hemisférios do planeta não for atingido todos os esforços que se possam levar a efeito em torno do almejado desenvolvimento económico e social estarão seriamente comprometidos senão mesmo inviabilizados. Razão pela qual se saúda a realização do evento “Lisboa corre pela Paz/Marcha-caminhada dos combatentes pela Paz”.


Humberto Santos
Presidente Comité Paralímpico de Portugal

 

O atletismo é uma modalidade que, pelas suas características, congrega
mais praticantes e simpatizantes em todo o mundo. A prática, formal ou
informal, é fácil, não exige meios sofisticados, por isso é uma modalidade
aberta a todos. Este ecumenismo desportivo faz com que a prática do
atletismo seja um veículo de excelência para a promoção de ideais e de
mensagens de cariz humanitário. Saudamos esta iniciativa da ADFA.
Regozijamo-nos que o atletismo veicule uma mensagem tão forte como a
da paz ao nível mundial. Apelamos à máxima participação. Bem hajam
pela vossa iniciativa.

Jorge Vieira

Presidente

“Não pode ser apenas Lisboa a Caminhar pela Paz, tem de ser o Mundo inteiro. O envolvimento de todos, sobretudo o testemunho dos que têm maiores dificuldades, daqueles que sentiram na pele o conflito, pode fazer toda a diferença em prol de um futuro melhor.

Caminhemos, que caminhando se transforma o mundo. Caminhando também se constrói a Paz.”

 

Ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social

 

Dr. Pedro Mota Soares

 

 

 

A comemoração do Dia Mundial da Paz oferece uma oportunidade redobrada para reafirmar o compromisso com as vias pacíficas para a resolução de controvérsias, para privilegiar o diálogo como caminho para a construção de uma sociedade internacional assente no respeito pelo outro e pelas diferenças e, igualmente, como momento para homenagear todos aqueles que não foi possível, no passado e no presente, poupar ao flagelo dos conflitos armados. Neste sentido, a Junta de Freguesia do Lumiar deseja as maiores felicidades e empenho para a edição de mais uma caminhada e marcha pela paz. 

 

 

 

Pedro Delgado Alves

 

Presidente da JFL

 

A Paz não é apenas a antítese da guerra. É segurança, é conforto, é bem-estar, é ter a família e os amigos bem perto. É não ter medo, não ter fome, não depender.

 

A paz é o lugar onde moram todas as nossas pequenas felicidades, a nossa serenidade, a nossa dignidade.

 

Hoje como ontem, a Associação Portuguesa de Deficientes está ao lado de todos os que defenderam e continuam a defender esse lugar precioso para toda a humanidade.

 

Lisboa, 12 de Agosto de 2015

O Secretariado Executivo da

Direcção Nacional

A Presidente

Ana Sezudo

 

 

 

"Num tempo em que se esbate a fronteira entre a política por meios de guerra e a paz, e proliferam o negócio e arsenais , nucleares e convencionais, fora do contexto das Nações e dos Estados, a paz exigida pelos povos assume um papel da maior relevância, em que todos os cidadãos do mundo devem demonstrar de uma forma inequívoca a sua vontade de preservar os valores da vida, da Ética e da coexistência pacífica no trajeto universal e milenar da Humanidade. Como Presidente exortarei todos os atletas e adeptos de Corfebol e todos os amantes da paz a se juntarem à iniciativa “Lisboa corre pela Paz/Marcha-caminhada dos combatentes pela Paz”, no dia 27 de setembro, para assinalar o Dia Mundial da Paz, declarado pelas Nações Unidas.
14 de Agosto de 2015

Mário Almeida
Presidente, FPC".

 

 

“A Paz, como legítima e justa aspiração da humanidade, não é unicamente a ausência da guerra enquanto expressão violenta e brutal da conflitualidade armada. A Paz não será autêntica se não tiver como fundamento a justiça. A Paz justa só existe se for baseada na igualdade dos homens e dos povos, na dignidade e maior equilíbrio na distribuição dos recursos, no respeito pela liberdade e pelos direitos humanos. Por isso, o caminho apontado é o desenvolvimento, novo nome da Paz, encarado não apenas do ponto de vista económico e social, mas também numa perspectiva ética e cultural, assegurando a realização plena do homem, a cooperação e a solidariedade e a convivência pacífica entre os povos. A Paz é um objectivo nobre que nos deve mobilizar para todos os combates. É neste entendimento que reside a nobreza e a força desta marcha pela Paz.”

Com os melhores cumprimentos e elevada consideração pessoal, 

Carvalho dos Reis

 

 

 

Tal como a vida no mar, a Paz não vem apenas daquilo que somos, mas sim daquilo que fazemos. A Marinha deseja a todos os participantes uma boa Marcha pela Paz.”

 

Com os melhores cumprimentos,

 

O SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO, INFORMAÇÃO E RELAÇÕES PÚBLICAS

GABINETE DO CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA

 

 

A Força Aérea Portuguesa tem, ao longo da sua história, sabido cultivar os mais altos ideais de serviço Público, sempre focada no Bem Comum e, consequentemente, na garantia da Paz e da Segurança da Comunidade em que se insere, pelo que não pode deixar de se associar a esta iniciativa da Associação dos Deficientes das Forças Armadas, desejando-lhe um pleno sucesso que possa, desse modo, contribuir para o tão nobre e almejado objetivo da Paz Mundial.”

 

Chefe do Estado-maior da Força Aérea

General Araújo Pinheiro

 

 

 

“Celebrar o Dia Internacional da Paz é relembrar que só na Paz é possível garantir a liberdade, a solidariedade e a esperança.Felicito, pois, a Associação dos Deficientes das Forças Armadas e a Liga dos Combatentes porque a iniciativa de celebração deste dia partir de ex-combatentes é bem significativa uma vez que eles, mais que ninguém, conhecem o valor inestimável da Paz.”

 

António Ramalho Eanes

 

 

Correr pela Paz, mais do que um desafio físico… deve ser encarado como um desafio maior: um desafio de todos, um compromisso alargado e assumido por toda a sociedade. Correr pela Paz é um esforço de propagação de valores como a Liberdade, a Justiça, o Amor e a Felicidade: na verdade, a opção livre de correr e superar dificuldades para se atingir um objetivo representa a essência de uma tão nobre corrida como esta… a da Paz.

 

Boa sorte a todos os atletas e bem-haja à ADFA pela promoção da iniciativa.

 

Ana Valente

 

Jornalista

 

Informação TVI/TVI24

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Morreu Maria de Jesus Barroso

A Associação dos Deficientes das Forças Armadas apresentou sentidas condolências ao ex-Presidente da República, Dr. Mário Soares e sua Família, pelo falecimento de Maria de Jesus Barroso, em 7 de julho.

“O falecimento da Dr.ª Maria de Jesus Barroso Soares representa para a ADFA uma perda insubstituível, não só pela estreita ligação e profunda solidariedade que sempre manteve para com os deficientes militares, mas, também, pelo seu louvável papel na Sociedade Portuguesa, onde defendia com extremo carinho e humanidade os mais altos valores da Dignidade Humana, da Democracia e da Liberdade”, refere o presidente da Direção Nacional, José Arruda.

“A ADFA jamais esquecerá o exemplo e o empenho da Dr.ª Maria Barroso na luta contra a ditadura fascista, bem como na defesa dos Direitos Humanos em Portugal e no Mundo”, destaca a Associação.

Ao ex-Presidente da República, Dr. Mário Soares, nesta hora de profunda tristeza, a Direção Nacional enviou um abraço solidário de toda a Associação dos Deficientes das Forças Armadas.

 


Subcategorias

  • Notícias Imprensa
    Notícias publicadas na imprensa seleccionadas pelo facto de serem relevantes para os temas da deficiencia, estatuto militar, guerra colonial e integração social.
    Nº de artigos:
    27
  • Noticias Breves
    Notícias breves, a vida da Associação dos Deficientes das Forças Armadas, suas Delegações, seus 15.000 associados...
    Nº de artigos:
    6
  • Notícias Recentes
    As notícias recentes podem ser encontradas nesta secção, com actualização permanente.
    Nº de artigos:
    119
Está em... Inicio Notícias