Notícias

Entrevista a António Lobo Antunes

 

 

António Lobo Antunes deu ao jornalista Vítor Gonçalves um entrevista sobre o seu mais recente

romance, “Até que as pedras se tornem mais leves que a água”, das edições Dom Quixote, que 

volta ao tema da guerra colonial em Angola, visionado e/ou audível em:

 

https://www.rtp.pt/play/p3085/e314834/grande-entrevista

Ciclo de Conferências "Viver com Qualidade de Vida"

 

Vai decorrer no Edifício Sede da ADFA, no próximo dia 27 de novembro de 2013, das 14H00 às 17H30, a Primeira Conferência intitulada: Cuidados Médicos a pessoas dependentes e/ou com mobilidade reduzida (Acidente Vascular Cerebral, Amputações, Lesões Vertebro-Medulares: Paraplegia, Tetraplegia).

Objetivos: Promoção de conhecimentos, boas práticas e de sensibilização para temas concretos e atuais relacionados com o envelhecimento e a deficiência.

Público: Ex-militares, Militares, Cuidadores Formais e Informais, Profissionais, Estudantes e todos os interessados, sem pré-requisitos.


Local: Avenida Padre Cruz - Edifício ADFA, 1600-560 Lisboa, Lumiar

Os Interessados em participar devem efetuar a Inscrição junto da Comissão Organizadora do Evento: Ana Machado, Assistente Social, com referenciação dos seguintes dados (Nome, Morada, Telemóvel, Profissão/Cargo e Instituição/Entidade), para os contatos abaixo indicados:

Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Telem. 917 365 357

A entrada é Gratuita mediante Pré-inscrição | Todos os inscritos terão direito a um Certificado de Participação.

__________________________________________________________________

 

 

IRS - Deficientes

A Associação dos Deficientes das Forças Armadas (ADFA) na sequência de contactos dos associados que informam que a Caixa Geral de Aposentações (CGA) continua a reter IRS sobre as suas pensões, auferidas na qualidade de deficiente militar, abrangidos pelo Estatuto da Aposentações (EA); ou seja os não qualificados DFA, DGFA e GDSEN, estranha o procedimento da CGA face ao Despacho n.º 547/2012-XIX, de 02NOV, proferido pelo Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais (SEAF), atendendo a que o mesmo veio, finalmente, esclarecer as dúvidas que se suscitaram face ao Despacho n.º 22/2009-XVII, do SEAF, datado de 12JAN2009, na sequência do disposto do n.º 1, do art.º 12.º, do CIRS, na redacção da L 64-A/2008, de 31DEZ.

O Despacho n.º 547/2012-XIX, de 02NOV, veio confirmar que as pensões auferidas pelos deficientes militares, abrangidos pelo EA, estão abrangidas pelo regime do n.º 1, do art.º 12.º, do CIRS, pelo que não podem ser tributadas em sede de IRS.

Perante esta situação, a ADFA remeteu ofício à CGA, aguardando que esta aplique, de imediato, a norma do n.º 1, do art.º 12.º, do CIRS, tendo em consideração o Despacho n.º 547/2012-XIX, de 02NOV.

Do teor deste ofício a DN deu conhecimento ao Ministério da Defesa Nacional e assessor militar do Primeiro-Ministro.

Fim de Ano na ADFA

Fim de Ano na ADFA

Programa

ELO – 38 anos

ELO – 38 anos

Mensagem do director

 

O jornal ELO nasceu há 38 anos sob o signo do inconformismo. A recém-nascida ADFA vivia momentos agitados de afirmação e de luta pelo reconhecimento dos direitos das vítimas da Guerra Colonial. Era necessária mais uma voz forte que congregasse e registasse os anseios e as reivindicações dos deficientes militares.

No meio dessa efervescência e no dia da ocupação do Palácio da Independência, sai a lume o número 0 do ELO: 23 de Novembro de 1974.

A ADFA acabara de conquistar uma sede e um jornal. Dois símbolos que ficaram a marcar a vida da ADFA, logo acarinhados pelos associados. No Palácio da Independência a Associação amadureceu e o ELO afirmou-se como espelho onde os associados se revêem. O Palácio ficou na história da ADFA e o ELO é um repositório histórico e um testemunho destas quase quatro décadas de vivência associativa.

Se o inconformismo marcou o nascimento do nosso jornal, esse mesmo sentimento tem acompanhado cada número que sai, dando voz aos órgãos sociais eleitos, dando voz aos desabafos e protestos dos associados, relatando os grandes momentos da vida associativa, como o que se está a viver neste momento e culmina amanhã no acto eleitoral para todos os órgãos sociais.

Um jornal que nunca se quis transformar em revista, porque neste seu formato mais familiar se habituaram os associados a lê-lo, a manuseá-lo, a ver nele a sua Associação, a senti-lo como um amigo por cuja visita se espera ansiosamente.

A actual equipa tem procurado preservar este espírito inconformista que há 38 anos acompanha a vida do ELO. Cada número é pensado como um renascimento, como um apelo aos valores e ao culto associativo. O seu conteúdo privilegia a informação para que os associados se sintam mais próximos e em comunhão permanente com a sua Associação. As suas primeiras páginas são especialmente cuidadas e fruto de muita reflexão e discussão com a Direcção Nacional e na Redacção.

Nem sempre a nossa missão tem sido isenta de dificuldades. Mas não nos falta ânimo para continuar a colaborar na construção do futuro da ADFA, enquanto merecermos a confiança dos associados e dos órgãos sociais eleitos.

 

José Diniz

Mais artigos...

Está em... Inicio Notícias Noticias Breves